53% não pagam taxa de sepultamento em Iracemápolis


Publicado em 9 de março de 2018

Dados inéditos divulgados pela Prefeitura mostram que, de 2015 a 2018, um grande número de famílias não pagou a taxa de sepultamento do Cemitério Municipal.

A taxa é prevista em lei e varia de cidade para cidade. Em Iracemápolis, é cobrada após o enterro e utilizada em serviços de manutenção do local, como limpeza de banheiros, pintura de muros, reforma de calçadas e outras ações de zeladoria.

O valor depende de uma série de questões, como se a pessoa tem jazigos na família ou se o enterro é em jazigo simples ou duplo. Varia de R$ 514 a R$ 1,9 mil, a depender do caso.

Balanço detalha panorama desde 2015 (Fonte: Depto. Municipal de Tributos)

Balanço detalha panorama desde 2015 (Fonte: Depto. Municipal de Tributos)

NOVOS JAZIGOS

A taxa também contribui para a ampliação do Cemitério, que está sendo feita por meio de parceria entre Prefeitura e Usina Iracema (que cedeu as terras).

A primeira fase do serviço já teve início e projeta a construção de 960 jazigos. Após essa fase, serão construídos mais 1.638 jazigos, além de ossuários, rede de águas pluviais e novos banheiros.

MOMENTO DIFÍCIL

Pensar na partida de uma pessoa próxima é sempre difícil. Ninguém gosta de falar sobre o assunto, mas infelizmente é inevitável e requer atenção.

Com a morte de um ente querido, mesmo triste, é preciso cuidar de questões como liberação do corpo, documentação, plano funerário, velório e sepultamento.

Em nota à imprensa, a Prefeitura se pôs à disposição para auxiliar famílias carentes. A Promoção Social, por exemplo, disponibiliza auxílio velório para famílias em vulnerabilidade social.