A Bíblia e a Política – Parte I Governo pessoal I


Publicado em 29 de junho de 2018

“Porque todos tropeçamos em muitas coisas. Se alguém não tropeça em palavra, o tal é perfeito, e poderoso para também governar todo o corpo” Tiago 3:2.

A poítica pessoal é fácil de projetar, mas complicada de executar, por exemplo: sei que não devo mentir, mas quando não estou bem e o telefone toca, logo digo para quem for atender “se for pra mim, diga que não estou”.

Outro exemplo é quando o relacionamento não está indo bem e as discussões esquentam. Sabemos que quando um lado cede, as chances de se resolver ficam maiores, mas fazemos isso? Renunciamos nosso “eu” para tentar um recomeço com quem amamos ou gostamos? Pense: É preferível ter razão e acabar com tudo ou querer ser feliz e tentar um recomeço deixando a razão de lado?

“Já estou crucificado com Cristo, e não sou mais eu quem vivo, mas Cristo vive em mim e, a vida que agora vivo no meu corpo, vivo-o pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim” Gálatas 2:20.

Este texto deixa bem claro qual exemplo de política pessoal devemos seguir.Em tudo ele (Jesus) foi governante de sim mesmo, e sempre optou por amar em vez de brigar, julgar ou condenar.

Falar de política pessoal, é olharmos no espelho ao fim do dia e dizer: fui um bom candidato ao meu próprio governo pessoal? Deixar a razão de lado não é fácil, mas quando se faz outra pessoa feliz a recompensa vem para ambos lados.

Como você tem feito a política pessoal de sua vida? Sua forma de governo conseguiria se reeleger caso houvesse uma eleição? Infelizmente nosso mandato é definitivo, o que precisamos são de reformas internas diárias e constantes.

Paz de Cristo!