Cia Pé de Cana fala sobre turnê pelo Brasil


Publicado em 8 de junho de 2018
 Denis Menezes: “Faz falta estar em casa e aproveitar algumas coisas que só tem por aqui” (Foto: Divulgação)

Denis Menezes: “Faz falta estar em casa e aproveitar algumas coisas que só tem por aqui” (Foto: Divulgação)

A Cia Pé de Cana que saiu em turnê pelo Brasil em março está de passagem por Iracemápolis. A trupe que tinha shows agendados na região decidiu aproveitar que estava por perto e passar uns dias em casa.

Na primeira fase da viagem o grupo se apresentou em 14 cidades passando por três estados brasileiros: São Paulo, Minas Gerais e Goiás.

A Gazeta conversou com um dos integrantes do grupo, Denis Menezes.

Esta volta a Iracemápolis durante a turnê estava prevista? O que os trouxe de volta?

Fechamos um trabalho em Rio Claro e decidimos ficar em casa.

Qual é a sensação de estar na cidade de vocês?

Apesar de nos dispormos a estar longe e viajar, a volta para casa é sempre boa.

Vocês sentem muita saudade? O que mais faz falta?

Sentimos. O que mais faz falta é estar em casa e aproveitar algumas coisas que só tem aqui: a família, os amigos, o feijão da mamãe e outros mimos (risos).

Quais experiências vocês destacam nesta primeira fase da turnê?

O fato de viajar e estar sempre em contato com pessoas e lugares diferentes já nos traz experiências novas. Destacamos a culinária de Goiás, onde provamos o pequi, uma fruta muito apreciada no cerrado brasileiro. E algumas cidades pequenas onde fomos recebidos com muito carinho. Lembrando que o pequeno Bernardo, com seus 2 anos e meio, está com a gente (o garoto é filho do casal Hugo Delariva e Suelen Zacharias) desfrutando também de experiências incríveis, crescendo e se desenvolvendo em meio a tudo isso.

Qual é a programação para a segunda fase da turnê?

Em junho temos agenda na Serra da Canastra e no triângulo mineiro. Depois passaremos em Goiânia na primeira semana de julho e até dia 15 pretendemos chegar no estado de Pernambuco, na cidade de Garanhuns. Agosto a agenda é Bahia, em Jequié. Acreditamos que voltaremos no final do ano, mas a proposta desse projeto é mambembar. Então, não temos ainda data definida de retorno, pois muitas outras cidades surgem de surpresa no meio do caminho.