Copa do Mundo estimula garotos a investirem na carreira de jogador


Publicado em 29 de junho de 2018
 Kayky,14, treina desde os 4 anos e declara: “Sonho em disputar uma Copa” (Foto: Arquivo Pessoal)

Kayky,14, treina desde os 4 anos e declara: “Sonho em disputar uma Copa” (Foto: Arquivo Pessoal)

Há cada quatro anos a Copa do Mundo coloca o futebol nos holofotes do planeta. A competição que chama a atenção até mesmo de quem não costuma acompanhar o esporte desperta em garotos de todo o mundo o desejo de se tornar um jogador profissional. É nesta época que a procura por escolinhas de futebol aumenta significativamente. Milhões de meninos vêem no esporte uma oportunidade de sucesso.

A “Escolinha de Futebol Integração” funciona em Iracemápolis desde 2010 e segundo o proprietário, Evandro Rozini, a procura aumenta na época da Copa. Para ele isso é resultado da repercussão do esporte na mídia.

“A exposição da competição move nos garotos o desejo de chegar onde os ídolos chegaram, mas infelizmente essa é uma carreira muito concorrida e são poucos os que conseguem”, afirma.

Kayky Enrico Casemiro De Lima, tem 14 anos e treina desde os 4 anos. Ele é um dos milhões de meninos que vislumbram um lugar de destaque no futebol. “Quero ser jogador por muitos motivos. Um dele é ajudar minha família. Cresci vendo craques como Neymar, Robinho, Ronaldo e Ronaldinho e sempre foi meu sonho ser igual a eles. Quero disputar uma Copa, ganhar mundiais, a Champions League e a Libertadores da América “, declara.

EXEMPLOS

O maior exemplo para os garotos iracemapolenses é o ex-jogador Elano. O atleta nascido em Iracemápolis fez carreira no Santos F.C, jogou na Europa e em outros clubes brasileiros e disputou a Copa do Mundo de 2010, onde chegou a marcar dois gols pela seleção brasileira.

“Espero que daqui saiam outros ‘Elanos’. Sabemos que não é fácil, mas estamos trabalhando para isso”, afirma Rozini.

Gustavo Rissi, é mais um exemplo próximo de que o sonho é possível. Nascido na cidade de Araras-SP, o zagueiro que foi campeão brasileiro e da Copa do Brasil com a equipe sub-20 do Cruzeiro, encoraja quem está começando. “Sempre acredite em si. Não é fácil, mas também não é impossível como dizem. As coisas nem sempre acontecem como esperamos. Tem dias longos, que parecem que não vão acabar, mas tem dias que você quer que dure pelo resto de sua vida. Passei por momentos que achei que não superaria, mas superei. E assim como toda profissão tem seus desafios, jogar futebol tem os seus também. Sempre vão exigir o seu máximo e querer seus melhores resultados. Tem que se sacrificar sempre, mas no final valerá a pena”, afirma.

Para chegar a ser profissional não basta sonhar. É preciso ter além de talento, muita dedicação e treino.

O ex-jogador Danilo Sacramento que jogou no Cruzeiro e no Vasco e atuou na Itália, Espanha e México também aconselhou. “Fui atleta profissional por 18 anos, atuei em grandes clubes do Brasil e exterior, e sempre recebi conselhos quando criança e procurei segui-los a risca para me tornar um atleta de alto nível. O maior conselho de todos é ter dedicação, sempre treinar e nunca desistir dos seus sonhos. Só assim você sairá na frente dos outros que não se dedicam tanto e querem se tornar atleta profissional”, destaca.

BENEFÍCIOS DO ESPORTE

Rozini ressalta que embora a maior parte dos meninos que começam a jogar não se tornem profissionais, o futebol traz lições que vão além do profissionalismo e contribuem positivamente para a vida pessoal. “Eles aprendem a ser disciplinados e responsáveis e só isso já é um grande aprendizado que faz valer a pena”, diz.