Dos que marcam consultas no SUS, mais da metade faltam

Secretaria da Saúde alerta para compromisso com agendamento e pede para população cumprir datas


Publicado em 10 de janeiro de 2014

A Secretaria de Saúde de Iracemápolis realizou um levantamento que mostrou que 60% das pessoas que marcam consultas e exames oferecidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) faltam ao agendamento. O dado é referente a dezembro. No caso do ultrassom, em 2013, 20% dos pacientes que marcaram não compareceram.

Kátia explica que faltas prejudicam quem necessita do tratamento

Kátia explica que faltas prejudicam quem necessita do tratamento

As ausências não ocorrem somente nos serviços realizados dentro município. No caso do convênio entre Prefeitura e o Pró Santa Casa, as faltas também ocorrem. O número de ausências chamou a atenção da equipe, conforme explicou a secretária adjunta da pasta, Kátia Franco de Campos. “Fazemos o acompanhamento de todos os pacientes por meio do nosso sistema para dar seguimento ao tratamento e realizar encaminhamentos, quando necessário. Por meio deste sistema, notamos que as faltas eram muitas”, comentou.

Ela explica que a falta compromete o dinheiro público. “A pessoa não comparece, mas a Prefeitura tem que pagar porque o médico estava lá à espera. Por isso é importante que as pessoas evitem faltar”.

Kátia esclarece que, no caso de haver necessidade de faltar, o paciente tem até dois dias antes do agendado para cancelar a consulta ou o exame para que outra pessoa possa ser chamada em seu lugar.

A Secretaria esclareceu ainda que as faltas em consultas e exames contribuem para o aumento da fila de espera e prejudica quem realmente necessita dos serviços fica prejudicado. O secretário José Gersel Moro ressalta que o SUS não é de graça e que exige recurso financeiro do governo federal, estadual e, principalmente, municipal. “Toda a verba utilizada é dinheiro público e a falta de responsabilidade do usuário quando não comparece às consultas ou exames, além de tirar a vaga de outra pessoa, gera o uso indevido deste dinheiro”, salienta o secretário.

DIAGNÓSTICO

No caso dos exames fora da cidade, com a falta, o procedimento agendado, muitas vezes, é remarcado para uma data distante, o que pode comprometer o diagnóstico e tratamento médico. “Usando de forma correta e com responsabilidade os serviços oferecidos pelo SUS, conseguiremos fazer um sistema que realmente que dê certo”, citou.