Dr. Marcos esclarece dúvidas sobre vacina contra febre amarela


Publicado em 2 de fevereiro de 2018

Dr-Marcos

O médico ginecologista e obstetra, Dr. Marcos César Gomes, estreia nesta edição um espaço onde a cada 15 dias trará informações sobre saúde aos leitores da Gazeta. Nesta primeira publicação, o assunto é a febre amarela.

O grande número de casos de febre amarela registrado nos últimos meses no país tem preocupado os brasileiros. A questão da vacina é a que mais preocupa a população, pois o Ministério da Saúde não disponibiliza vacina para todos e, muitas dúvidas surgem em relação a quem pode ser imunizado. Dr. Marcos, traz através de um texto do médico, Dráuzio Varella, esclarecimentos sobre o assunto.

“Sobre a Febre Amarela e a ‘falta de vacinas para todo mundo’, vou tentar explicar resumidamente: O mosquito que pica o macaco (Haemagogus janthinomys) é diferente do que o que pica o homem (Aedes aegypti). O primeiro vive na mata fechada e o segundo dentro da sua casa. O pernilongo comum não participa dessa história. Os humanos suscetíveis, ao frequentarem áreas silvestres, podem ser picados por mosquitos infectados. Ao voltarem para casa, se estiverem contaminados e forem picados pelo Aedes, este é quem pode disseminar o vírus para outras pessoas.

O Aedes vive dentro das casas e voa, no máximo, num raio de 500 metros. Ou seja, o mosquito não vai atravessar a cidade, a não ser que você permita que ele passe de casa em casa, inclusive na sua. Como não há casos de ciclo urbano de Febre Amarela no Brasil desde 1942, vacina-se apenas as populações que vivem mais próximas às matas nativas porque o vírus só pode vir de lá.

Entenda que mata nativa é diferente de terreno abandonado ou de barranco com mato alto.Seguindo-se o ‘rastro’ das mortes dos macacos, é possível saber por onde o vírus está andando, e assim protege-se as pessoas daquelas áreas. É o que chamam de ‘corredor do vírus’. Por isso é extremamente importante não sair matando macacos por aí! Além de indicarem por onde o vírus anda, eles são mais vítimas do que nós.

Se você não mora próximo a áreas de mata nativa, o vírus só chegará a você se houver o ciclo urbano através do Aedes, e este ciclo começa sempre afetando primeiro os moradores das áreas de mata. Por isso é importante fazer o bloqueio deles primeiro.

Lembre-se que desde 1942 não há casos de ciclo urbano no Brasil.Se você se afobar e tomar a vacina sem necessidade e esta faltar aos moradores das áreas de mata, fica muito mais fácil de começar o ciclo urbano, pois essas pessoas estarão desprotegidas por sua culpa. Se você quer realmente proteger a si e a sua família e colaborar com a cidade toda e com os serviços de saúde, não permita que o mosquito Aedes aegypti procrie. Além de evitar a Febre Amarela, você também estará evitando a Dengue, a Zika e o Chikungunya.

Você sabia que Sorocaba (SP) já tem caso confirmado de Chikungunya em 2018 e vários casos suspeitos de Dengue e nenhum de Febre Amarela em humanos? Pois é… A chave de tudo é o mosquito Aedes aegypti e não os macacos! Use sua inteligência! Entendeu agora porque a vacina não é para todo mundo?

Ah, e antes que eu me esqueça, você já olhou seu quintal hoje atrás de água parada ou lembrou de usar repelente? Você pode até escapar da Febre Amarela, mas a Dengue, a Zika e o Chikungunya podem estar dentro da sua casa e você nem se deu conta disso!

Percebeu como tem agido errado até então desesperando-se atrás da vacina? ‘Bora’ fazer o certo acabando com o mosquito!”