“Estou bem e recuperada”, afirma Daniela


Publicado em 3 de abril de 2020
Ao testar positivo para o novo coronavírus, ela enfrentou a situação de cabeça erguida (Foto: Acervo pessoal)

Ao testar positivo para o novo coronavírus, ela enfrentou a situação de cabeça erguida (Foto: Acervo pessoal)

Aos 43 anos, Daniela Olivatto teve uma surpresa ao receber seu diagnóstico médico no dia 23 de março: havia testado positivo para a covid-19, causada pelo novo coronavírus.

“Antes disso, tive dores pelo corpo, nos olhos, febre, dor de garganta e diarreia”, contou em entrevista exclusiva para esta Gazeta. Ao procurar atendimento médico e realizar os exames, aguardou pacientemente o resultado.

Pelo diagnóstico, acredita-se que ela contraiu o vírus durante uma viagem de 8 a 15 de março em um cruzeiro que passou em Salvador, Búzios, Santos e Ilha Bela. Outras 16 pessoas de Iracemápolis estavam na viagem e receberam orientações de equipes de saúde até o último domingo (29), quando os 14 dias recomendados terminaram.

“Nenhum dos meus familiares teve sintomas da covid-19. Na verdade, quando eu recebi o exame, eu também já não tinha mais sintomas. Já estou ótima, graças a Deus!”, disse.

Recuperada, Daniela agradeceu o apoio da equipe de Saúde da cidade. “Foram bastante atenciosos, sempre acompanhando o nosso estado de saúde”, afirmou.

Ela também agradeceu às pessoas que lhe apoiaram e disse que não se arrependeu de ter viajado. “De maneira alguma, foi tudo incrível e maravilhoso. Enquanto eu estava viajando, todos estavam vivendo a vida normalmente e isso poderia ter acontecido aqui ou em qualquer outro lugar. Quem garante que foi no navio?”.

Religiosa, ela deixou uma mensagem a todos. “Gostaria de dizer que acalmem o coração e saibam que nada é impossível para Deus. Logo sairemos dessa crise. Eu sou do grupo de risco, pois tenho asma, mas estou aqui firme e forte, porque o Senhor tem cuidado de mim e da minha casa”.

REPERCUSSÃO

Ao mesmo tempo em que pessoas a criticaram pelas redes sociais, muitas outras apoiaram e elogiaram sua postura de enfrentar a situação de cabeça erguida. A Gazeta pediu para ela responder duas perguntas sobre isso. Confira.

O que tem a dizer para quem te criticou?

As pessoas que me criticaram ou falaram mal estão perdoadas. Quem sou eu para julgá-las, tudo está nas mãos de Deus, que tudo vê e sabe. Essas pessoas não me conhecem, não conhecem os fatos. O que mais me assustou foi um radialista de Limeira que pôs no ar a notícia de forma irreal e ainda usou meu nome e sobrenome sem autorização.

O que tem a dizer para quem te apoiou?

Olha, tem muitos amigos e pessoas que eu nem imaginava que tem tanto carinho por mim e por minha família. Teve muita gente que se mostrou solidária e humana diante de tudo isso, muita gente mesmo, mensagens pelo celular que eu ainda não consegui responder, porque são muitas! Gratidão por essas vidas e famílias que me ajudaram em palavras, gestos e orações, vocês fazem acreditar que a humanidade baixa é minoria.