Expectativa para as vendas de fim de ano aquece comércio

Vendas devem aumentar em 10% em relação a 2016


Publicado em 8 de dezembro de 2017
Lojistas estão otimistas e apostam em promoções para garantir o sucesso nas vendas (Foto: Mayta Castilho)

Lojistas estão otimistas e apostam em promoções para garantir o sucesso nas vendas (Foto: Mayta Castilho)

A CNC ( Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo) divulgou um levantamento que aponta uma expectativa de 10% no crescimento das vendas neste final de ano em relação a 2016. Lojistas estão animados com a previsão e apostam no aumento das vendas neste período.

A ACIAI (Associação Comercial Industrial e Agrícola de Iracemápolis) aposta nas campanhas para alavancar as vendas. “O ‘Natal Premiado’ é nossa mais forte e maior campanha do ano. Nesse período os consumidores poderão, através do preenchimento de cupons nas lojas credenciadas, concorrer a diversos prêmios que serão sorteados às pessoas que prestigiarem o nosso comércio”, informou a assessoria da ACIAI.

ESTRATÉGIAS

Os lojistas da cidade estão otimistas.”Projetamos um crescimento de 65% a 75% em relação ao mesmo período do ano passado. Nossa aposta é no atendimento de qualidade para garantir o sucesso nas vendas”, disse Noel Camargo, gerente de uma loja de eletrodomésticos no Centro.

Já a loja de roupas onde trabalha a vendedora, Roseli Marchesin, aposta nos preços baixos para vender mais. “O movimento durante o ano foi fraco. Percebemos que o consumidor tem medo de gastar devido a crise dos últimos anos, mas apostamos nas promoções para vender mais”, explica a vendedora, Roseli Marchesin.

O 13º deve injetar R$ 200 milhões na economia este ano e, é este dinheiro que grande parte dos consumidores usa para garantir as comprar de natal. “Vou aproveitar o 13º para comprar os presentes de natal.Economizar é sempre bom. Procuro sempre comprar onde o preço é mais em conta. Mas apesarde buscar economia, não vou deixar de presentear meus familiares”, diz a aposentada, Olga de Castilho, 65.

CRISE

A crise financeira que afetou todos os setores da economia do país nos últimos três anos, diminuiu o poder aquisitivo da população o que gerou uma queda nas vendas do varejo, porém a expectativa do consumidor para este ano é gastar um pouco mais. “Este ano eu pretendo comprar mais, pois nos dois últimos anos eu precisei economizar bastante devido à crise que enfrentamos. Agora vejo que a situação está tranquilizando”, afirma a vendedora, Celi Domingues, 59.