Fala Povo! – Corrupção


Publicado em 27 de abril de 2018

Esta semana a Gazeta foi às ruas de Iracemápolis para saber o que o iracemapolense espera para o futuro do Brasil. O povo acredita em um país livre da corrupção? Tem boas expectativas para as eleições presidenciais deste ano? E a Justiça, tem feito um bom trabalho para combater a corrupção? Veja as respostas dos entrevistados.


Elizabete
“Eu tenho expectativas de um bom futuro para o Brasil. Espero que um dia possamos viver em um país sem corrupção, sem roubalheira. Estou contente com o que temos visto com a operação Lava-Jato, a Justiça está sendo feita. Sobre as eleições deste ano eu ainda não sei em quem votar, pois com tudo o que temos visto ultimamente, fica difícil escolher um candidato” – Elizabete de Fátima Benassi Costa, 50, dona de casa.

Elaine
“Eu não vejo tanta eficiência na Justiça brasileira, pois ainda tem muitos corruptos soltos que eu duvido que um dia serão presos. Prendem quem fez muitas coisas pelos pobres e quem rouba o povo fica livre. Não acredito que seja possível combater a corrupção, pois isso vem de muitos anos e não é algo tão simples de resolver. Não tenho boas expectativas para o futuro do Brasil e sobre as eleições, não vou votar pois não dá pra confiar em ninguém!” – Elaine Mateus, 41, funcionária da frente de trabalho.

Whashington
“A prisão do Lula foi um grande passo para a Justiça brasileira e eu espero que ele não seja o único, pois tem muitos políticos corruptos que devem ser presos assim como ele foi. Acho que futuramente o Brasil vai ser um país melhor, tenho esperança. Quanto as eleições eu não tenho candidato ainda, está muito difícil escolher um” – Whashington dos Santos, 63,aposentado.

Marco
“Na minha opinião a Justiça não está sendo tão correta. A prisão do Lula por exemplo eu acho no mínimo esquisita, pois havia casos mais graves de corrupção do que o do ex-presidente para ser julgado, como do Governador Geraldo Alkimin, do José Serra entre outros. Achei uma perseguição apaixonante de Sérgio Moro contra Lula. Casos mais graves do que um triplex precisavam ser julgados e foram arquivados e o triplex foi julgado de uma forma tão rápida como nunca houve antes. Muito estranho pra não dizer parcial. Eu não vejo um bom futuro para o Brasil, não acho que dessa forma vamos vencer a corrupção. Nas eleições deste ano está mais difícil do que nunca escolher um candidato” – Marco Aurélio Castilho, 49, vendedor