Falando da Cidade – 03/04/2019


Publicado em 3 de maio de 2019

Depois da Missa

Homens com roupas impecáveis e a rigor, fumando suas cigarrilhas ficavam todos garbosos rodando no sentido horário na Praça da Matriz, e mulheres no sentido contrário para um possível flerte, alguns minutos de conversa (acompanhados) nos bancos internos da praça, talvez um possível namoro, com posterior noivado e assim muitas famílias iracemapolitanas se formaram.

Olha o Lanterninha

E depois que o namoro avançava, o passo seguinte era assistir um filme no Cine Iracema, com algumas balas Toffee ou de hortelã no bolso para a eventualidade de conseguir um beijo mais carinhoso.

Casas Iguais

As colônias eram locais de grande círculos de amizade; Boa Vista tinha um time de futebol de encher os olhos; a coloninha do Sapo ficava praticamente dentro da Usina; o Paramirim com orgulho de sua gigantesca represa, a Iracema foi a fazenda que deu nome à nossa cidade, e a única que ainda tem pessoas morando, apesar de aos poucos as casas irem sendo demolidas; algumas colônias como o Patreze e a Água Santa não ficavam em solo iracemapolitano, mas seus moradores eram mais ligados à nossa cidade, tanto que muitos vieram para cá.

Esporte Bretão

No futebol a rivalidade CAUI x América era de arrepiar. O tricolor dos canaviais era considerado o time dos que queriam estar mais “próximos” da Usina, enquanto o Mériquinha era o time do povão; e jogador que se destacasse em um time tinha dificuldade para ser aceito pela torcida adversária.

Meu Povo e Minhas Povas

Na política, nosso Bate-Pau também era bi-polarizado; o partido da Aliança Renovadora Nacional era o ARENA considerado o partido dos ricos e que dominou a prefeitura até metade dos anos 70; quando o Manda Brasa (MDB) dos Ditos Curadô, Fabrício, e Sagui, do Claudio Cocenza e do Lolo que assumiu a cadeira principal da cidade e revolucionou a forma de administrar, construindo o Pronto -Socorro, o Prédio Jose Chinelatto que é a atual prefeitura, e quase 300 casas no Jardim Iracema.

Bola Pesada

No Futsal o esquadrão do Mengo formado por Jabá, Galo Cego, Celinho, Wagninho e Bigode dentre outros parecia que seriam eternamente imbatíveis, e seus nomes imortalizados em embates memoráveis no CRECI, e em duelos (literalmente) nas quadras de Rio Claro; mas eis que atualmente temos o time do Bar do Véio que vem ganhando tudo nos dias de hoje; como seria um confronto entre estas duas equipes.

Chegando a Furiosa

Os sábados e domingos era dia da bandinha Furiosa vir em formação até o coreto executando as mais belas melodias, e tocavam até desligarem as luzes e os jatos de água da fonte, que sinalizava que era hora de encerrar o espetáculo.

Nestes 65 anos de nossa amada Iracemápolis muitas tradições e histórias ficaram esquecidas, ou foram ficando para trás; mas o mais importante é nos prepararmos para um futuro que tem tudo para que nossa cidade volte a ser destaque na região; e que até podem nos chamar de pé vermeio, mas vão falar sabendo que temos muito orgulho da Princesa do Sudeste do Brasil. Parabéns Iracemápolis.