Leis humanas e Leis Bíblicas | Parte IV Aborto?


Publicado em 31 de março de 2017

“Os teus olhos viram o meu corpo ainda sem forma; e no teu livro todas estas coisas foram escritas; as quais em continuação foram formadas, quando nem ainda uma delas havia” Salmos 139:16.

A nossa constituição, seguindo exemplo de outros países, garante que não é crime tirar uma vida com três meses de formação. Sei que são várias situações, inclusive a que gera risco de morte para a mãe, mas quando se trata do ser humano, o limite não é o limite e sim a linha para se ultrapassar.

Segundo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas), a média anual de abortos provocados “fora da lei”, isto é, que não são frutos de estupro, é de 1.100.000. É isso mesmo, um milhão e cem mil vidas são jogadas no lixo. Isso é o que está registrado, pois os números são absurdamente maiores. O ser humano é assim: se a lei e as placas dizem velocidade permitida de 100 km/h ele sabe que há uma tolerância de 10%, então ele vai dirigir sempre acima do limite, e com a lei do aborto não vai ser diferente: “é só eu dizer que fui estuprada”.

Independentemente da situação somos a maior população cristã do mundo, que acredita na Bíblia, só isso já seria o suficiente. Perguntaram-me: e se sua filha for estuprada, engravidar e quiser abortar? Peço a Deus em oração que isso nunca venha a acontecer, mas se Deus permitir, a decisão cabe a ela, vou amá-la e respeitá-la, mas se ela deixar a decisão para mim, direi: “tenha esse filho, ame-o e quando ele tiver idade suficiente, diga a ele toda a verdade: que mesmo em meio ao sofrimento, você confiou na Palavra de Deus e optou por gera-lo e dar a ele a oportunidade de conhecer esse Deus maravilhoso.

Amados e amadas, não é abortando que diminuiremos os estupradores. Não venceremos a maldade dos “culpados”, sendo cruéis com os inocentes. Sei que às vezes fica difícil entender os propósitos de Deus, mas temos que sempre ter fé e crer que Ele tem sempre o melhor para nós. “E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito. Romanos 8:28. Pense; se sua mãe fosse a favor dessa lei, talvez você não estivesse lendo esse artigo. Paz de Cristo!