Lencinhos Bordados


Publicado em 8 de maio de 2015

Na loja, as senhoras conversavam andando por entre as diversas coisas bonitas para comprar. Ambas aparentavam estar nos seus 50 anos de vida das mulheres nos dias de hoje: elegantes, bem vestidas, roupas joviais, poucas rugas, corpos malhados e enfeitadas.

_Eu nem sei o que comprar pra minha mãe. O que uma senhora de 75 anos gosta? – dizia uma delas andando pelos corredores abarrotados de coisas bonitas. A outra apenas olhava e andava de lá pra cá. De repente ela viu algo que chamou sua atenção: num cantinho bem no fundo de uma prateleira as caixinhas cor de rosa a fizeram voltar no tempo.

Mais ou menos quarenta anos atrás lá estava ela na única lojinha da cidade com o pai e os outros cinco irmãos menores comprando a caixinha de lenços bordados para presentear a mãe, os lencinhos eram simples, branquinhos e com flores bordadas, vinham três em cada caixinha rosa. A mãe tinha sempre um lenço na bolsa, e era aquela caixinha que por muitos anos o pai pôde comprar para que todos presenteassem a mãe, e todo ano a mãe recebia o presente e agradecia com a mesma frase: “Eu agradeço muito, mas vocês não precisavam me comprar um presente…eu já tenho tudo o que preciso para ser feliz”, e abraçava a todos com o mesmo amor, e mesmo com todas as dificuldades da época, sempre enfatizou que já tinha tudo o que precisava para ser feliz.

A senhora com suas lembranças virou as costas e saiu da loja rapidamente. Voltou pra casa e foi direito pro quarto. Lá no fundo do maleiro do guarda-roupa ela pegou uma caixa grande, a caixa das lembranças que quase todo mundo tem e abriu-a. Num canto estava um montinho de lencinhos bordados, já amarelados pelos anos, e alí ela chorou. Sentiu o cheiro da mãe e desejou poder voltar pro ninho. Desejou deixar tudo o que tinha: conforto, vida tranquila, tudo o que tinha conseguido na vida depois de tantas dificuldades. Queria voltar pro abraço carinhoso da mãe e ouvi-la dizer que já tinha o que precisava pra ser feliz.

Muitas vezes a gente já tem o que precisa para ser feliz!

Feliz Dia das Mães para todas as minhas leitoras, especialmente para minha mãezinha querida, dona Maria e para minha sogra, dona Celestina.