Lula condenado


Publicado em 14 de julho de 2017

Esta semana o Brasil acompanhou mais um importante capítulo da Operação Lava Jato, a condenação de Lula.

O ex-presidente foi condenado em primeira instância a 9 anos e 6 meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e de lavagem de dinheiro. A justiça determinou ainda que Lula não pode exercer cargo ou função pública pelo dobro do tempo da pena, ou seja, a 19 anos. A decisão, no entanto, só passa a valer após ser referendada por colegiado no caso, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região.

A acusação é pela ocultação da propriedade de uma cobertura triplex em Guarujá, no litoral paulista, recebida como propina da empreiteira OAS, em troca de favores na Petrobras.

Embora o caso ainda não tenha sido encerrado, pois a decisão permite que Lula recorra em liberdade, já é um grande avanço para a justiça brasileira. Esta é a primeira vez na história que um ex-presidente é condenado por um crime comum no Brasil.

É louvável o evidente amadurecimento no combate à corrupção no país. A condenação do ex-presidente Lula e o fato de o atual presidente, Michel Temer, ter sido denunciado pela Procuradoria-Geral da República sob acusação de corrupção passiva no âmbito da delação da JBS expressam bem este momento de imposição da justiça brasileira.

A “caçada aos corruptos” liderada pelo juíz Sérgio Mouro traz uma certa esperança de que ainda tem jeito para o Brasil.