Messias fala dos trabalhos a frente da Secretaria de Saúde

Vice-prefeito afirma: "Meta é modernizar equipamentos e dar vazão com mais rapidez às demandas, como cirurgias, exames e distribuição de medicamentos"


Publicado em 4 de agosto de 2017

A Gazeta traz uma entrevista com o vice-prefeito e secretário de Saúde, Messias Humberto de Oliveira onde ele avalia o início dos trabalhos à frente do departamento.

Messias: "Estar a frente da Saúde me dá a oportunidade de avançar as condições do setor para a população" (Foto: Assessoria de Imprensa da PMI)

Messias: “Estar a frente da Saúde me dá a oportunidade de
avançar as condições do setor para a população” (Foto: Assessoria de Imprensa da PMI)

Como é estar a frente da Secretaria de Saúde?

É gratificante, pois lidamos com o bem estar das pessoas. Por isso, temos o dever de procurar sempre melhorar, tanto os locais de atendimento quanto suas estruturas. E também é um desafio, pois a área exige constante atualização.

Como avalia o setor?

Vejo sempre com os olhos de quem acredita na melhoria constante. Quando saímos do município, vemos que precisamos melhorar em alguns aspectos, mas também vemos o quanto temos uma saúde diferenciada em outros. Nossas estruturas são boas, equipadas e com profissionais muito dedicados.

O município passa por grave crise financeira. Isso influencia o setor?

Sim, embora não seja exclusividade daqui. Estamos nos esforçando, calculando os custos, redefinindo o número de funcionários e trabalhando em cima de propostas e metas traçadas em equipe em nosso plano de saúde.

Quais os desafios a superar?

São muitos, dos mais simples aos complexos. Mas eu acredito que, junto com os colabores, não há desafio que não possa ser superado em equipe. Falo com os profissionais do setor que não é a minha vontade que deve prevalecer, mas a soma de todos em prol de um objetivo. Nossa meta é modernizar os equipamentos, qualificar ainda mais a equipe e dar vazão com mais rapidez às demandas, como cirurgias, exames e distribuição de medicamentos.

Como encontrou o setor ao assumir?

Havia riscos deixados pela outra administração. Chamo atenção para as mudanças estruturais feitas no Pronto Atendimento, onde havia sido colocado o SAME e na parte de trás o CAPS. Nós temos outra visão de trabalho sobre isso, que visa a otimização dos espaços e dos serviços. Como toda gestão tem liberdade para gerir e modificar, quero fazer alterações de acordo com a necessidade da população e em acordo com as condições que temos, pois não adianta apenas construir e depois não ter condições financeiras, técnicas e de profissionais para sustentar os serviços.

Como vai conduzir a pasta nos próximos anos?

A condução de uma gestão séria é sempre participativa, consciente de onde estamos e de onde podemos chegar. O que visamos é dar assistência aos mais necessitados, com uma visão futurista diante das modernidades que o departamento necessita, mas sem perder o humanismo, pois lidamos com pessoas. Vamos trabalhar constantemente programas e ações que façam prevenção, diagnósticos rápidos e com tratamentos eficientes que atendam a todos os ciclos de vida, da gestação até a velhice, e que não deixe de assistir também aos animais, que são parte do cuidado que o setor precisa ter.

Como é ser vice-prefeito e secretário de Saúde?

São situações diferentes que se completam. Estar a frente da Saúde me dá a oportunidade de avançar as condições do setor para a população. Ser vice-prefeito me torna ainda mais próximo do prefeito para, juntos, encontrarmos as soluções. O Fábio é um grande prefeito e sua experiência, junto com a minha vontade, traz ganhos para o setor e por consequência para o município.