Necessidades e prioridades – Parte VI Palavras


Publicado em 15 de março de 2019

“Não saia da sua boca nenhuma palavra que cause desânimo, mas só a que for boa para animar e motivar, para que dê alegria aos que a ouvem.” Efésios 4:29.

Diante de tantas informações sobre mudanças de governo, os da direita, os da esquerda, os conflitos com os venezuelanos, BBB 19, chuvas, desastres como a do Centro de Treinamento do Flamengo, Brumadinho, famosos e seus escândalos e por último a morte do neto do Lula, o que realmente saiu de nossa boca, prioridades ou necessidades?

Maldades, fofocas, calúnias e histórias incertas, saem da nossa boca quase que constantemente, mas o que quero que reflitam é: tudo o que dizemos e compartilhamos no momento em que sabemos de algo é necessário ou prioritário?

A doença do século no nosso pais com esse “capitalismo selvagem” é a depressão. Começando com um desânimo, seguido de frustações, desilusões, incapacidade de conquistar o que se quer, sonha ou deseja, pessoas de várias idades e faixas sociais, estão cada vez mais, alienadas em uma vida virtual (Netflix, Whatsapp, Facebook etc) mas quando saem da frete da tela, se vêmm em suas vidas fúteis e sem graça. Muitas chegam ao ponto de tirar a própria vida ao invés de buscar resolver de outra maneira um problema temporário.

Há um fato: poucos hoje em dia conseguem viver por muito tempo sem uma tela de celular, televisão ou computador e isso tem distanciado as pessoas fisicamente e aproximando das pessoas virtuais, que nem sempre são sinceras nas conversas e informações que passam.

Fotos e vídeos de pessoas, casais e famílias felizes, são compartilhadas, mas na verdade muitas delas são apenas fachada. A realidade é outra bem pior. O feminicídio aumentou horrívelmente em nosso país, mas quando vemos as fotos do assassino e da vítima na reportagem dos jornais, são casais lindos e felizes em lugares lindos. Fake? Utópico? Não!

Qual é a história que contamos e compartilhamos com os que estão próximos? Elas trazem motivação ou desânimo para os que ouvem? Do que mais nos alimentamos mentalmente durante o dia, nos anima ou desanima? Quando abre a boca para falar, suas prioridades e necessidades são incentivar ou frustrar os sonhos das pessoas?

Você é o que sente e pensa, mas às vezes disfarça com o que fala. Qual a sua real prioridade e necessidade quando fala: demonstrar o amor ou ou o ódio?

Paz de Cristo!