Necessidades e prioridades – Parte X Seu Tempo


Publicado em 10 de maio de 2019

“Então, enquanto temos tempo, façamos o bem a todos, mas principalmente aos da família da fé” Gálatas 6:10.

Será que quando damos uns trocados para um pedinte no semáforo ou na rua quando o encontramos estamos mesmo ajudando em suas necessidades? Será que o dinheiro dado vai ser por ele priorizado? Não quero aqui induzir ninguém a deixar de dar ou começar a fazê-lo, mas somente levá-los a refletir.Quando ajudamos alguém ou não, qual é a nossa necessidade ou prioridade?

Será que quando damos algo para alguém independentemente de onde, não estamos de algum modo dizendo “essa é sua vida, aceite-a até o fim” ou quando não damos dizemos “olha você pode ser mais que isso”? A análise que quero que façamos é: fazer o bem a alguém depende do ponto de vista de quem dá ou de quem recebe?

Todo ser humano precisa de ajuda de alguém em alguma área de sua vida, isso é fato, mas quando não priorizamos as necessidades aparentes, elas se tornam dependência, conformismo e aceitação de uma situação que pode ser mudada.

O texto acima pede para que façamos o bem enquanto há tempo. Mas é importante pensar que nem sempre o “sim” ou o ato de doar é sinônimo de ajuda, assim como o “não” não é sinônimo de não ajudar. A capacidade do ser humano em se levantar de uma situação contrária de dor ou dificuldades, é tão grande quanto a de se acomodar e aceitar tal situação. Portanto ajude sim quem e quantos puder, só analise cada caso separadamente, pois a necessidade é real, mas a prioridade pode mudar uma história. Não dê somente para se livrar de uma situação desconfortante momentânea. Muitas vezes, tem coisas muito mais importante para se dar do que um simples trocadinho, por exemplo, um copo d’agua, uma refeição, um minuto de conversa, um abraço, uma carona ou até mesmo uma palavra de motivação.

O seu tempo para fazer o bem é uma necessidade ou uma prioridade para você?

Paz de Cristo!