Ouse ser feliz e faça feliz a quem você ama


Publicado em 30 de novembro de 2018

“Viver e não ter a vergonha de ser feliz. Cantar e cantar e cantar a beleza de ser um eterno aprendiz…”

É com essa canção em mente, que começo o texto de hoje com a única intenção de te convidar a refletir um pouco mais sobre a necessidade de ser quem somos, e o quanto isso é ousado em um mundo onde barreiras praticamente intransponíveis são criadas diariamente entre pais, filhos, parceiros e líderes.

Em tempos de guerra, onde todos já saem de seus lares armados para alguma possível batalha, o que nos falta é ter alguém, em nossas vidas, que seja capaz de sentar ao nosso lado, e nos acolher a ponto de nos fazer ter a certeza de que não estamos sozinhos.

O que vejo é que as pessoas estão carentes de atenção e seguem suas vidas buscando supri-la em tecnologias avançadas, bebidas ou qualquer outro tipo de vício sem sentido. Estamos todos carentes de nos sentirmos acolhidos, ouvidos e percebidos.

O meu desejo, no entanto, é que nós possamos, antes de julgar o outro, olhar para dentro e perceber em que ponto nós também estamos deixando de sentar ao lado das pessoas com as quais convivemos.

Que nós tenhamos a coragem para abrir espaço para que o outro nos conheça sem as máscaras, que insistimos em colocar para cumprir um papelque nos disseram que seria omais adequado.

Que possamos retirar todo e qualquer obstáculo, que impede que o nos aproximemos uns dos outros.

Que aprendamos a viver com ousadia sabendo que o medo faz parte do processo, mas que não deve nos impedir de viver e de ser o melhor que podemos ser.

Que saibamos aplicar em nossos dias a coragem necessária para levantar da cadeira, que fica do lado oposto da mesa, para sentarmos ao lado de quem nos fala para que ele tenha a certeza de que você está logo ali, ao alcance de suas mãos.

Perceber-se acolhido apesar de nossas falhas retira de nossos ombros toda angústia e ansiedade tão presentes em nossos dias. Que saibamos ser para aqueles que amamos um porto seguro e que possamos reconhecer nele o mesmo tipo de entrega e aceitação.
Que saibamos enxergar os defeitos alheios com amor e compaixão, e que essa também seja uma prática para com as nossas próprias falhas.

Que a gente aprenda a permitir que o erro ocorra com a certeza de que ele pode ser consertado, pois é assim que crescemos e que também permitimos que o outro evolua.

Que saibamos nos abrir e deixar que o outro se abra para a vida e para o que traz real sentido para os nossos dias.

A partir de hoje, não mais permita que algo esteja entre você e o outro.

Ouse aproximar-se. Ouse olhar nos olhos ao invés de para a tela do celular. Ouse ouvir com sabedoria. Ouse se exporpara aqueles que conquistaram o direito de conhecer sua essência.

Porque, quando a gente se revela, a gente se permite viver o melhor que o Universo tem para nós, através dos aprendizados e crescimentos que só se tornam possíveis quando há entrega.

Que você saiba se entregar de corpo, alma e coração com a certeza de que, se algo sair errado, você é perfeitamente capaz de se reerguer e se transformar em alguém ainda mais forte.

Ouse ser você.