Pai, não tem a ver com genética, tem a ver com amor


Publicado em 10 de agosto de 2018

Domingo é Dia dos Pais.

A data desperta sobretudo sentimento e a emoção de parar para homenagear quem sempre cuidou, protegeu e ensinou.

Há quem neste dia se lembre das mágoas por ter ficado órfão muito cedo ou por ter sido abandonado, rejeitado ou esquecido. Mas este domingo não é dia de celebrar DNA, pois o Dia dos Pais, não tem a ver com genética, mas tem a ver com amor.

É dia de homenagear que exerceu a figura paterna. É dia de honrar um padrasto que assumiu o papel do pai, o avô que acolheu, aquele tio que aconselhou ou até mesmo a mãe que foi guerreira e além de mãe foi pai também.

É dia de reconhecer, homenager e agradecer quem corrigiu nossos erros, quem segurou na mão quando aprendemos a andar, quem enxugou as lágrimas dos fracassos e inspirou a perseguir os sonhos.

Não é dia de quem emprestou um gene é dia de quem sacrificou a vida, a sua própria vida em nosso favor. Este domingo não é dia de celebrar a genética, é dia de honrar o amor.

Que neste Dia dos Pais o amor fale mais alto! Desejamos a todos os nossos leitores, um Feliz Dia dos Pais!