Teatro Virgínio Ometto recebe peça em comemoração ao Dia Mundial do Autismo


Publicado em 5 de abril de 2019
Espetáculo faz parte de programação promovida por um grupo de mães de crianças com TEA (Foto: Divulgação)

Espetáculo faz parte de programação promovida por
um grupo de mães de crianças com TEA (Foto: Divulgação)

Em comemoração ao mês em que é celebrado o Dia Mundial do Autismo (2 de abril), o teatro Virgínio Ometto receberá neste domingo, dia 7, um espetáculo para autistas. A peça tem como objetivo transmitir informações, combater o preconceito e promover a inclusão. O evento é parte de uma programação promovida por um grupo de mães de crianças autistas. Além o espetáculo, palestras com profissionais da área foram realizadas na última quinta-feira (5).

A psicóloga Andréia Feitoza da Costa, ressalta a importância de trabalhos como este. “Uma das grandes dificuldades que famílias e indivíduos com TEA ainda sofrem é com a falta de informação da sociedade sobre o assunto. Apesar do Autismo estar sendo cada vez mais comentado, há ainda muitas dúvidas que envolvem o Transtorno. O objetivo do teatro é possibilitar através da sessão adaptada a ambientação dessas crianças com distúrbios sensoriais neste espaço, permitindo e encorajando que ao longo do tempo estas crianças e suas famílias continuem frequentando esses ambientes e se possível com a diminuição cada vez maior dessas adaptações”, ressalta a psicóloga.

AUTISMO NO CALENDÁRIO MUNICIPAL

Recentemente a Câmara de Vereadores de Iracemápolis, aprovou o projeto de lei n° 9-2019, de autoria do vereador Francisco Rossetti, que instituiu o Dia Municipal de Conscientização sobre o Autismo. A data passará a integrar o calendário oficial de eventos do município e será celebrada anualmente no dia 2 de Abril.

“Espera-se que a data fazendo parte do Calendário Municipal, amplie e reforce ainda mais a divulgação sobre o TEA e haja ações que possam ocorrer nesse dia e dentro do mês de Abril, para que a informação atinja cada vez mais o maior número de pessoas”, declara Andréia.

Para a profissional, o trabalho ainda contribui para inserir atividades culturais na rotina dessas famílias, abrir novas possibilidades de lazer, funcionar como uma extensão ao trabalho terapêutico realizado com a criança, servindo como uma atividade de socialização e interação social, contribuindo para facilitar o acesso as salas de teatro e cinema, e realizar a inclusão sociocultural da família, além de ampliar o interesse dessas crianças e principalmente encorajar o engajamento de pais e familiares no tratamento do TEA e na inclusão social.

A PEÇA

A peça foi desenvolvida especialmente para este evento, pelo Grupo de Teatro Levitar, que teve a preocupação de compreender o TEA e escrever uma peça que tivesse em seus detalhes características capazes de assegurar ou tentar garantir ao máximo o interesse e atenção das crianças com TEA durante o espetáculo.

Por ser um teatro incluso, algumas adaptações são criadas com relação a estrutura e organização. Durante toda a sessão, a sala do teatro ficará com as luzes acesas, o som ficará mais baixo e a platéia poderá andar, dançar ou falar à vontade. Profissionais acompanharão as famílias durante a apresentação, pois o objetivo é auxiliar as crianças na adaptação ao ambiente e orientar os pais sobre como lidar com as dificuldades de adaptação.

A psicóloga convida: “o convite ao teatro é aberto a toda população. Esperamos que você, que não possui uma criança com TEA ou com qualquer outra deficiência possa levar seu filho, pois além de estarem se divertindo, terão a oportunidade para contribuir com a inclusão. O resultado será a formação de uma sociedade mais informada, com menos preconceito e mais respeito com as diferenças”, destaca.

O Teatro acontece neste domingo, às 15h no Teatro Prefeito Virgínio Ometto e a entrada é gratuita. Após o espetáculo haverá brinquedos para as crianças.