Tobogã


Publicado em 15 de julho de 2016

-Vô, vamos de novo!

Seu Antônio perdeu as contas de quantas vezes ajudou o netinho a subir naquele imenso escorregador inflável. O menino chegava lá em cima e descia num segundo e logo queria ir de novo. É sempre assim quando chega julho, férias escolares. Com certeza são os avós que auxiliam os pais das crianças que geralmente não tem férias nesse período.

O avô já com mais setenta anos nunca brincou num tobogã daqueles, na sua época nem se sonhava com isso, e todo ano ele se encantava com os diversos brinquedos gigantes de plástico. Por dentro, ele também brincava.

-Vô, de novo! De novo! – chamava o pequeno. E vai Seu Antônio pra fila. Muitas crianças pulando, brincando, mal conseguindo esperar para chegar a vez. E várias vezes isso se repetiu naquela tarde, nos diversos brinquedos, nas diversas barraquinhas de pipoca e algodão doce. Férias escolares, pais que desejavam passar mais tempo com os filhos e avós aproveitando a oportunidade de serem pais de novo. Alguns que não puderam brincar com os filhos, hoje brincam com os netos.

Logo voltam as aulas e um misto de tristeza e saudade enche os corações. Nos pais, tristeza de não poder ter aproveitado as férias com os pequenos e nos avós, saudade de seus filhos, outrora pequenos, saudade de ter brincado mais.

Para as crianças, não sei, mas acho que um pouco de tristeza vai ficar, pois afinal, as aulas vão recomeçar.