UBS “Noé Franco de Campos” é depredada no Aquárius


Publicado em 31 de agosto de 2018
UBS foi inaugurada em 2016 (Foto: Assessoria de Imprensa da CMI)

UBS foi inaugurada em 2016 (Foto: Assessoria de Imprensa da CMI)

Na última quarta-feira (29) a Câmara Municipal recebeu a denúncia de que a UBS “Noé Franco de Campos” localizada no Jardim Aquárius, havia sido invadida e pessoas estavam passando a noite no local. A assessoria parlamentar da Câmara foi até o prédio e afirmou ter encontrado fechaduras estouradas, colchões nas salas e vasilhas espalhadas pelo chão. Apesar dos sinais, nenhum invasor foi localizado na UBS.

“Mais uma obra abandonada que vai se deteriorando. Este prédio era para ser um benefício para a população da cidade e não um local para se abandonar e deixar da forma que está. A UBS deveria atender os munícipes que hoje se deslocam até a região central para receber atendimento”, disse o vereador Pedrão do Noé (PV).

O vereador ainda destacou que espera uma atitude do Executivo para que esta situação seja solucionada.

A UBS foi inaugurada em 2016 e até hoje não atende a população.

PREFEITURA

Em nota a assessoria de imprensa da Prefeitura informou que a Guarda Civil Municipal “não confirma os fatos no plural” e disse que apenas um caso isolado foi confirmado, de acordo com o boletim de ocorrência registrado no dia 21 de julho às 21h30, quando dois adolescentes e um indivíduo maior de idade invadiram o local.

A Prefeitura informou ainda que as rondas diárias no bairro, inclusive pela madrugada, não encontram pessoas dormindo no local. Também não há registro de moradores e/ou autoridades que acionaram a GCM para averiguar e/ou apurar qualquer caso dessa característica e disse que o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), órgão ligado à Promoção Social que trabalha com assistência social a famílias e/ou indivíduos em situação de ameaça ou de violação de direitos, como moradores de rua, não registra nenhum caso de pessoas que passam a noite no local.

Em relação à referida UBS, a Prefeitura citou que em 2016, a Prefeitura emitiu termo de recebimento definitivo da obra, dando-a como concluída. No entanto, a obra apresentou avarias, apontando que a empresa responsável não finalizou os serviços contratados para a UBS, o que contradiz o termo emitido (de acordo com o Ministério da Saúde, em notificação ao Município por meio do Sistema de Monitoramento de Obras / SISMOB). O caso encontra-se na esfera Jurídica do Município. Aguarda-se o desfecho jurídico para que novas informações, oficiais, sejam fornecidas.