Vandalismo atrapalha trabalho de arborização da Ágape

Daniel Oliveira, engenheiro ambiental, fala sobre a importância das árvores para o meio ambiente


Publicado em 18 de janeiro de 2019
 Daniel Oliveira é engenheiro ambiental e um dos idealizadores do projeto de arborização da Ágape (Foto: Arquivo Pessoal)

Daniel Oliveira é engenheiro ambiental e um dos idealizadores do projeto de arborização da Ágape (Foto: Arquivo Pessoal)

Um projeto de arborização urbana e rural desenvolvido pela Comunidade Ágape, desde 2012, já plantou mais de 10 mil mudas de árvores dentro do município e em áreas de APPs (parceria com usina Iracema e produtores rurais do município). Recentemente foram registrados atos de vandalismo com a destruição de diversas destas mudas. Segundo um dos responsáveis pelo projeto, o engenheiro ambiental, Daniel Oliveira, uma das mudas chegou a ser substituída 12 vezes. Em entrevista exclusiva para a Gazeta, o engenheiro falou sobre o assunto.

Como surgiu a ideia de realizar esse trabalho de arborização no município?

O trabalho surgiu quando vimos a necessidade de arborizar tanto a área urbana como também as nascentes e cursos d’água do município. No ano de 2012 em reunião com o líder da Ágape, Paulo Lima, Ednaldo Gonçalves e Daniel Mayer, da Casa da Agricultura, decidimos começar o projeto.

Como funciona o trabalho?

Fazemos reuniões periodicamente com o pessoal e definimos os locais onde está precisando fazer o plantio de mudas, por exemplo: praças, áreas verdes, escolas etc. Sempre com apoio da Prefeitura e empresas.

Fale sobre a importância da arborização no meio ambiente?

A arborização urbana tem vários aspectos positivos. As árvores funcionam como um filtro ambiental, reduzindo os níveis de poluição do ar, mitigação da poluição sonora, o equilíbrio da redução da velocidade dos ventos, a redução do impacto das chuvas, a atração para a avifauna e, sobretudo, a harmonia paisagística e ambiental do espaço urbano. Já a arborização rural é enorme para a flora e para a fauna. Ela funciona como uma espécie de filtro e impede a contaminação das águas por produtos poluentes, como os usados na agricultura e possibilita a absorção de nutrientes como nitrogênio, fósforo, cálcio e magnésio. Além disso, permite que os animais silvestres desloquem-se de uma região a outra para buscar alimentos e acasalar. Em algumas localidades, em que a biodiversidade é grande, é possível encontrar plantas e animais raros.

Sobre os casos de vandalismo com as mudas plantadas por vocês, o que você tem a dizer?

É frustrante para nós que vamos três ou quatro vezes por semana, cuidar das mudas na esperança de que elas possam se tornar árvores que gerem benefícios para a cidade e as encontramos quebradas. As pessos precisam se conscientizar. Reclama-se muito do calor excessivo que tem feito ultimamente, mas poderia poderia estar bem melhor se as árvores não fossem quebradas. Nosso ideal é proporcionar para a população o privilégio de viver em uma cidade arborizada. A única coisa que pedimos é que não quebrem as árvores.