Você se conhece? Final


Publicado em 1 de junho de 2018

“Aquele que diz que está nele, também deve andar como ele andou” 1 João 2:6. “Como Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e com poder; o qual andou fazendo bem, e curando a todos os oprimidos do diabo, porque Deus era com ele” Atos 10:38.

A partir do momento que temos as convicções e uma lista real de nossa identidade, características, composição e valores, precisamos usá-las da maneira mais prática que existe no viver do dia-a-dia. Estude com calma e com um olhar crítico e detalhista de você mesmo, encare cada situação do seu dia olhando para dentro de si, afinal você agora se conhece e conhece seu limites, tanto para o mal como para o bem.

Um exemplo que amo, é de quando Jesus é confrontado pelos líderes religiosos da época, que levaram até ele uma mulher pega em adultério (João 8:3-4). Ela não era suspeita, ela foi pega no ato!.Diziam “está na lei, temos direito de matá-la”. Conhecendo quem era, Jesus se cala até ter uma resposta branda e de amor para com o próximo, e responde “quem nunca pecou que atire a primeira pedra”.

O quero que reflita comigo é que temos uma facilidade tão grande em entrar em “rodas”, falar mal e julgar pessoas, até mesmo as que não conhecemos, por exemplo: “aquele jogador não jogou nada, acabou com o jogo ontem”. É tão comum entrarmos na conversa concordando, argumentando e aumentando a maldade, sem saber o que realmente se passa na vida extra futebol daquela pessoa.

A frase que mais usamos é: “ganha uma fortuna pra fazer só isso e é ruim desse jeito”. Jesus tinha tudo em seu favor para pegar uma pedra e atirar, pois era o único sem pecado ali, mas preferiu controlar a natureza humana e se agarrou ao seu verdadeiro eu em Deus e amou aquela mulher, mesmo quando tudo parecia contrário e a ganhou para sempre.

Agora eu e você com essa lista que está no papel, montaremos no meio do caderno nosso dia-a-dia, nossa semana, nosso, mês, nosso ano, nossa vida, pois agora sabemos exatamente quem somos nos mais diversos momentos de nossa vida, quais reações e ações temos em variadas situações. Agora podemos e devemos errar menos e acertar mais ou continuaremos a ser um ser que Deus não fez.

Eu acredito fielmente que Deus nos fez únicos para sermos únicos, então vivamos como tais, na excelência do nosso verdadeiro “eu” nos conhecendo em todos os sentidos, para a glória de Deus e a alegria das pessoas.

Paz de Cristo!