Você se conhece – Parte XIV Ferramentas praticas II


Publicado em 18 de maio de 2018

“Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se esvaziaram, e o seu coração insensato se perdeu” Romanos 1:21.

Tanto coisas boas como as más que fizemos ficam armazenadas em nossa mente, por isso com o mesmo processo que fizemos a lista das qualidades, neste mesmo caderno faremos a lista das não qualidades, mas no outro lado do caderno (pois no meio temos outra ferramenta que será entregue na próxima edição).

Então, busque em seu passado todas as vezes que você, pensou, sentiu ou fez algo que não foi bom, anote e se em cada um vier um sentimento de tristeza, culpa ou raiva, só um sentimento será importante para Deus, o sentimento de arrependimento. Junto a ele tenha a atitude de pedir perdão a Deus primeiramente e se for algo não resolvido com outra pessoa, converse com Deus para que prepare o momento certo e acerte com a mesma.

Não diferente das qualidades, todas as anotações tem que gerar em você o desejo de mudança, o compromisso de realmente entender quem você é e de quem Deus e as pessoas vão ver e sentir quem você realmente é, exercitando e praticando suas qualidades, evitando e controlando suas não qualidades até que elas se reduzam a quase nada. Perfeitos não seremos, mas temos que lutar sempre.

Para cada anotação dessa “nova” lista leve em consideração qual o sentimento que foi gerado, o que antecedeu para que se comportasse ou tivesse aquele tipo de pensamento ou atitude, isso vai lhe ajudar a prevenir futuras reações. Evitando as situações, consequentemente evita-se os inevitáveis transtornos. Esse auto conhecimento de seus pontos fortes e fracos, vão lhe ajudar a entender seu verdadeiro “eu”, sabendo dentro de si mesmo suas qualidades e não qualidades.

Na próxima edição passaremos a última ferramenta: como sair do caderno e viver a realidade no dia-a-dia.

Paz de Cristo!