Aumento de casos de dengue coloca o estado de São Paulo em alerta


Publicado em 8 de fevereiro de 2019
 José Eduardo, da Defesa Civil, fala da importância de manter terrenos em ordem (Foto: Reprodução / Facebook da Prefeitura de Iracemápolis)

José Eduardo, da Defesa Civil, fala da importância de manter terrenos em ordem (Foto: Reprodução / Facebook da Prefeitura de Iracemápolis)

Análises do Instituto Adolfo Lutz confirmaram a circulação de um novo vírus da dengue em todo o estado de São Paulo. Esse vírus tende a provocar casos clinicamente mais graves da doença e o sinal de alerta deve ser ligado.

Para exemplificar, só no primeiro mês de 2019, a cidade de Bauru já registrou 775 casos e decretou emergência após a epidemia. Também há confirmação de casos em cidades da região de Piracicaba e Limeira.

IRACEMÁPOLIS

Atualmente não há registro de casos de dengue em Iracemápolis. No entanto, a Prefeitura alerta que o momento requer muita atenção.

“É preciso cuidado com essa informação. O município faz um controle correto da dengue, mas isso não significa que casos não possam surgir a qualquer momento. O ano de 2019 será crítico em todo o estado e Iracemápolis não está livre disso”, alertou a diretora da Vigilância Municipal em Saúde, Geseli Alves da Silva.

O período de chuva e calor é um agravante, pois é propício para a formação de focos do mosquito transmissor. Por isso a importância de um trabalho conjunto entre Prefeitura e população para eliminar os criadouros. Entre as medidas, estão a limpeza de calhas, caixas d’água e eliminação de água parada limpa.

TERRENOS

Também há preocupação com a limpeza de terrenos. É preciso ficar atento a problemas como mato alto, lixo irregular e entulhos.

A Defesa Civil alerta sobre ampliar a conscientização, pois há áreas vulneráveis, como a mata ciliar do Ribeirão Cachoeirinha e os bairros Florescer, São Sebastião, Luiz Ometto e Alvorada, além do buracão do Aquárius e da Lagoa do Jacinto.

De acordo com o coordenador do setor, José Eduardo, a fiscalização em áreas com mato alto foi intensificada. Os proprietários de terrenos nessas condições estão sendo notificados e têm prazo de 10 dias para a limpeza. Vencendo o prazo, a multa é de 6 ufesp (R$ 154). Caso o proprietário não resolva, ele é novamente multado.

Sobre áreas públicas, a Prefeitura informou que o setor de Serviços Urbanos intensificou a limpeza em pontos que apresentam problemas.