Mercedes-Benz inaugura em Iracemápolis o maior Campo de Provas do Hemisfério Sul


Publicado em 18 de maio de 2018
 Local é similar ao da Dimler, em Worth, na Alemanha, um dos mais mais modernos do segmento de veículos comeciais da compainha (Foto: Assessoria de Imprensa)

Local é similar ao da Dimler, em Worth, na Alemanha, um dos mais mais modernos do segmento de veículos comeciais da compainha (Foto: Assessoria de Imprensa)

A Mercedes-Benz inaugurou na última terça-feira, dia 15, em Iracemápolis seu Campo de Provas para veículos comerciais. O espaço é o maior do Hemisfério Sul e o mais avançado e tecnológico do Brasil para caminhões e ônibus.

Localizado ao lado da fábrica de automóveis, o Campo de Provas toma por base um modelo similar ao da Daimler em Wörth, na Alemanha, um dos mais modernos do segmento de veículos comerciais da companhia e também do setor em todo o mundo. Com isso, serão realizados, aqui no Brasil, testes com o mesmo rigor e padrão técnico e métrico seguidos por outras unidades do Grupo.

Foram investidos cerca de R$ 90 milhões no local que abriga, num terreno de 1,3 milhão de metros quadrados, uma estrutura especializada e 16 pistas de asfalto, concreto e terra, numa extensão total de 12 km para diversos tipos de testes. Construído em 18 meses, o Campo de Provas da Mercedes-Benz do Brasil conta com uma área total de 1,3 milhão de metros quadrados, reunindo o que há de mais avançado em tecnologia de simulações e testes. Esta área de terreno equivale a 150 campos de futebol. Na terraplanagem, foram movimentados 1,5 milhão de metros cúbicos de terra, o que daria para encher uma dessas arenas modernas até a cobertura.

“Esse moderno e avançado Campo de Provas amplia notavelmente nossa capacidade de simulações e testes, acelerando e otimizando cada vez mais o desenvolvimento tecnológico de veículos comerciais para nossos clientes do Brasil e de outros mercados de exportação”, afirma Philipp Schiemer, presidente da Mercedes-Benz do Brasil e CEO América Latina.

PISTAS

Com tecnologia de ponta a novidade permite que a empresa simule estradas do Brasil e de qualquer país do mundo. Base para simulações e testes, um caminhão laboratório instrumentado com 260 sensores, percorreu 16 mil km por todas as regiões do país, coletando dados das estradas brasileiras que foram reproduzidos nas pistas de testes. Foram vários meses armazenando dados das estradas brasileiras, obtendo um valioso conhecimento, muito próximo das operações de caminhões extrapesados.

“Esse espetacular caminhão laboratório trouxe a realidade das aplicações de transporte do Brasil para dentro do Campo de Provas. É exatamente isso que nos permite simular nas nossas pistas uma representação fiel das estradas brasileiras. Por meio dos sensores instalados no caminhão, uma imensa quantidade de dados foi registrada e analisada. Isso nos permitiu desenvolver um programa de testes muito diferenciado para esse Campo de Provas, que tem a cara do Brasil”, explica Schiemer.

O chefe de Engenharia da Alemanha, Turquia, China e, especialmente, do Brasil, o Prof. Dr. Uwe Baake, disse que as severas condições do transporte no país ajudam muito a Mercedes-Benz a desenvolver veículos para enfrentar esses desafios e superá-los com força, robustez e durabilidade. “Em sua imensa extensão continental, o Brasil é um verdadeiro laboratório a céu aberto. Tem uma variedade incrível de estradas e vias, com diferentes topografias, pavimentos, altitudes e temperaturas. O êxito da Empresa é tão evidente que ela não só atende o mercado interno, como também o externo. Os produtos feitos aqui levam essas mesmas qualidades para diversos países, tanto da América Latina, quanto de outros continentes. Ou seja, os veículos testados aqui estão aprovados para o mundo”, afirma.

 Local é similar ao da Dimler, em Worth, na Alemanha, um dos mais mais modernos do segmento de veículos comeciais da compainha (Foto: Assessoria de Imprensa)

Local é similar ao da Dimler, em Worth, na Alemanha, um dos mais mais modernos do segmento de veículos comeciais da compainha (Foto: Assessoria de Imprensa)