Prefeitura projeta Iracemápolis com planejamento da mobilidade urbana


Publicado em 12 de junho de 2020
Messias: "Objetivo é ter documento técnico para embasar tomada de decisões" (Foto: Divulgação)

Messias: “Objetivo é ter documento técnico para embasar tomada de decisões” (Foto: Divulgação)

A Prefeitura está trabalhando para elaborar e colocar em prática o Plano Municipal de Mobilidade Urbana de Iracemápolis.

A informação é do vice-prefeito, Messias Humberto de Oliveira, que explica que o plano de mobilidade é uma ferramenta de gestão que visa estudar e rever toda locomoção na cidade.

“A elaboração e implantação do plano de mobilidade visa otimizar a acessibilidade aos espaços e prédios públicos, rever e melhorar o deslocamento em toda a cidade, seja o de transporte público ou individual, além de propiciar um tráfego mais ágil e adequado às necessidades da população”, disse.

Ele completa dizendo que o documento é também uma forma de garantir bem-estar às pessoas, uma vez que, implantando um plano de mobilidade, o ambiente torna-se mais organizado. “É algo que reflete no desenvolvimento, com ruas e trânsito mais seguros”.

REFERÊNCIA

Messias informou que o coordenador municipal de Trânsito, Célio Rodrigues, elaborou um Termo de Referência que especifica todos os objetivos da Prefeitura. O documento está no setor de Compras, que irá contratar uma empresa especializada para o serviço de consultoria técnica.

“A elaboração do plano de mobilidade será feita com o aporte de profissionais da área, em acordo com o que determina a legislação federal”, explica.

O instrumento vai planejar ações de curto, médio e longo prazo, e orientar para que os investimentos do Município sejam organizados.

“Iracemápolis está localizada dentro de uma nova linha de expansão econômica, tem os distritos industriais grandes e está próxima de rodovias importantes, como Anhanguera, Bandeirantes e Washington Luís. Com o passar dos anos, é provável que teremos novas indústrias e, por que não, novos loteamentos. Isso irá representar aumento no fluxo de pessoas, de veículos, irá demandar a reorganização de toda a logística municipal”, frisa.

“Por isso, precisamos elaborar e implantar um plano de mobilidade, que deve analisar e avaliar nossa logística rodoviária, cicloviária, a movimentação de pessoas e mercadorias, entre outras, sem contar a questão da acessibilidade de pessoas com deficiência ou que tenham restrições de acessibilidade”, completa.

PENSAR O TRÂNSITO

Messias finaliza dizendo que o objetivo da Prefeitura é ter embasamento técnico para a tomada de decisões a respeito de questões que envolvem transporte coletivo, de carga, autorização para funcionamento de táxis e de motoristas que trabalham por aplicativos.

“Também precisamos pensar em segurança no trânsito, ter um projeto de ciclovia e ter um planejamento para definir áreas de estacionamento, em especial para os veículos de carga, cuja frota é representativa na cidade, observando áreas, horários e restrições de acesso, entre outras questões”, relata.

O vice-prefeito informou, por fim, que o Termo de Referência que detalha o que deverá constar no plano de mobilidade pode ser encontrado no setor de Compras da Prefeitura — para ter acesso, basta entrar em contato pelo telefone 3456 9200.