Presidente da ACIAI fala sobre o momento de crise


Publicado em 3 de abril de 2020
Conversamos com Carlinhos Fedato sobre o impacto do coronavírus (Foto: Acervo pessoal)

Conversamos com Carlinhos Fedato sobre o impacto do coronavírus (Foto: Acervo pessoal)

Neste momento de crise causada pela pandemia do novo coronavírus (covid-19), que mudou a rotina do comércio e indústria, a Gazeta conversou com Carlos José Fedato, presidente da ACIAI, sobre o assunto. Confira a entrevista.

O que orienta ao comércio e indústria da cidade?

A ACIAI tem se baseado em orientações oficiais dos órgãos públicos como prefeitura e governo do estado, que também seguem orientações da Organização Mundial de Saúde e Ministério da Saúde. Sabemos da preocupação de todos, que é nossa também, pelo lado econômico. Mas pensamos que a vida vem em primeiro lugar e devemos com muita calma e sagacidade cobrar dos governos medidas para amenizar esse lado que, com certeza, vai trazer problemas ao comércio e indústria. Também temos repassado aos nossos associados a posição da Federação da Associações Comerciai do Estado, que não tem medido esforços para justamente cobrar das autoridades medidas que venham de encontro aos interesses das classes que representamos. Entendemos que o momento é de união e diálogo para tomarmos as medidas necessárias para o bem comum.

Considera esta a pior crise pela qual já passamos?

Sim, a crise é mundial. Um cenário muito triste, com milhares de vítimas. E tem o fato de termos que afastar as pessoas de seus trabalhos e do convívio social para evitar a disseminação do vírus. Estamos acompanhando os noticiários e vemos países considerados de primeiro mundo até então “inabaláveis” se curvarem diante desta pandemia. Não me recordo de outro momento tão cruel, não só para o comércio, mas para toda a humanidade.

Que medidas podem ser adotadas na crise?

Veiculamos uma cartilha em nossas redes sociais direcionada aos consumidores. A ideia é buscar alternativas de negócios como Drives Thru e Delivery, para evitarmos a aglomeração de pessoas e também a circulação. O momento que estamos atravessando é uma oportunidade de repensarmos nosso modelo de negócio, não podemos mais achar que tudo vai passar e continuaremos a fazer os negócios da mesma forma que fazíamos antes desta pandemia. Sem dúvida, no momento atual, precisamos utilizar toda ferramenta eletrônica disponível em nosso favor para atendermos os clientes de forma segura e eficiente. E gradativamente repensar nossa forma de atuação no mercado. Teremos que nos reinventar.

O setor se prepara para a possibilidade de que a quarentena se prolongue?

Rezamos para que isso não seja necessário, apesar das previsões não serem as melhores. Sim, é importante sempre termos um “plano B”, tanto em nossas vidas como em nossas empresas. Sem planejamento fica difícil tomarmos decisão acertada, precisamos estar atentos a qualquer movimento e traçarmos estratégias para enfrentar as dificuldades que possam aparecer pela frente.

Deixe uma mensagem.

Peço a todos os empreendedores o bom senso e o discernimento. Estamos todos na mesma situação, com as mesmas dificuldades. A ACIAI tem buscado, através da sua equipe, estar atenta às informações que possam ajudar os empresários a amenizar esta crise que assola o mundo. Levamos ao prefeito algumas propostas de ordem fiscal, para que as empresas do município possam ter uma condição de mais tranquilidade para enfrentar esta crise econômica chamada “segunda onda”, que certamente vai nos atingir em breve. Fiquem atentos às medidas do governo federal em apoio ao empreendedor. Que Deus em sua infinita bondade nos abençoe.