Saúde orienta sobre “Leishmaniose Viscerals”


Publicado em 14 de agosto de 2020

Esta é a Semana de Prevenção e Controle da Leishmaniose Visceral, uma doença grave transmitida por um inseto conhecido como “mosquito-palha”.

A diretora de Vigilâncias em Saúde, Eliane Raetano, e a coordenadora de Saúde, Geseli Alves da Silva, informaram a imprensa sobre o assunto.

“Com a pandemia do coronavírus, as orientações são focadas em ações nas residências, como limpeza de quintais e higienização de abrigos de animais de estimação”, disseram.

Elas explicam que a Leishmaniose Visceral afeta humanos e cães, e a transmissão ocorre por meio da picada do mosquito, que costuma atacar à noite ou já ao entardecer.

Como forma de prevenção, é necessário cuidado com locais úmidos e sombreados que acumulam matéria em decomposição, como jardins. Confira dicas para se prevenir:

• Não permitir acúmulo de folhagens ou frutas caídas em jardim/pomar/quintal;

• Não acumular lixo em casa ou quintal, nem jogar em terrenos baldios;

• Manter limpeza e higiene do quintal e dos espaços ocupados por cães.

SINTOMAS

Entre os sinais da doença no cão, estão: crescimento exagerado das unhas e problemas de pele de difícil resolução, como falhas na pelagem, descamações e feridas que nunca cicatrizam.

Em humanos, os sintomas mais comuns são: febre, barriga inchada, perda de peso, febre e cansaço.