banner

Município quita débitos com credores de 2016


Publicado em 22 de outubro de 2021
Valor pago é de R$ 642.179,01; dívida estava reconhecida, com notas assinadas pelos gestores da época (Foto: Divulgação)

Valor pago é de R$ 642.179,01; dívida estava reconhecida, com notas assinadas pelos gestores da época (Foto: Divulgação)

A Prefeitura de Iracemápolis concluiu o pagamento de dívidas para uma média de cem credores. Os valores devidos são do ano de 2016 e representam um total de R$ 642.179,01. Esse tipo de dívida também é conhecida como “restos a pagar”.

A diretora do Departamento de Finanças, Sueli Maria Sardenha, explica que a dívida estava reconhecida pela Prefeitura, com serviços concretizados e notas assinadas pelos gestores da época. Desta forma, chegou-se ao entendimento de quitar as dívidas.

“Pensando em zelar pela instituição que é a Prefeitura de Iracemápolis, dando credibilidade à atual administração, entendemos em fazer o pagamento do que era devido”, destaca.

O pagamento foi possível devido à gestão financeira praticada. Durante o balanço das finanças dos últimos meses, ficou apontado que a Prefeitura possuía recursos suficientes para pagar essas dívidas antigas.

A necessidade do pagamento também vinha sendo apontada, em anos anteriores, pelo Tribunal de Contas. A atual administração tomou a decisão de cumprir a definição do Tribunal.

A prefeita Nelita Michel destaca que uma gestão eficiente é um dos principais objetivos da atual administração. Recentemente, balanço do Tribunal de Contas mostrou que Iracemápolis está entre as poucas cidades do Estado com a gestão orçamentária em ordem, indicando responsabilidade fiscal na administração.

“É devido ao trabalho de toda equipe que estamos conseguindo colocar a casa em ordem, inclusive o pagamento de dívidas anteriores. Jamais poderíamos deixar de quitar essas dívidas, sabendo que essas empresas e prestadores de serviço merecem receber justamente pelo trabalho desenvolvido”, destaca a prefeita.

O valor divulgado corresponde a empresas que não acionaram a Justiça. Além dos mais de R$ 600 mil, o município reservou o total de R$ 73.957,25 que está no departamento jurídico para dar seguimento, pois tratam de situações que envolvem inventários, concordata e outros.

Já aqueles fornecedores que acionaram à Justiça deverão aguardar o desfecho via judiciário. Neste caso, calcula-se que a dívida inicial está em R$ 1 milhão, no entanto, o valor pode mudar a partir das decisões judiciais.

Os comentários estão desativados.