Coordenadora da Aril fala sobre o trabalho da instituição em palestra no Isca Faculdades


Publicado em 7 de dezembro de 2018
 Giovana Tavares da Silva (coordenadora da Aril), Rosa Maria Carrasco (professorra do Isca) e Cleide Machado Guimarães (aluna do curso de Serviço Social) (Foto: Divulgação)

Giovana Tavares da Silva (coordenadora da Aril), Rosa Maria
Carrasco (professorra do Isca) e Cleide Machado Guimarães
(aluna do curso de Serviço Social) (Foto: Divulgação)

A assistente social e coordenadora da Aril (Associação de Reabilitação Infantil Limeirense) de Iracemápolis, Giovana Tavares da Silva, esteve no último dia 12 no Isca Faculdades, em Limeira, onde ministrou uma palestra sobre inclusão social.

Giovana falou aos alunos do curso de Serviço Social e Pedagogia sobre o trabalho da Aril. Ela explicou sobre CHTP (Centro de Habilitação e Treinamento Profissional ) e o TEA (Transtorno do Espectro Autista), programas da organização que visam a inclusão.

A palestra abordou também a questão da lei de cotas para deficientes (Lei 8213), que inclui as deficiência física, visual, auditiva e intelectual. A lei diz que empresas com cem ou mais funcionários está obrigada a destinar de 2 a 5% dos seus cargos a portadores de deficiências. “O objetivo da lei de cotas é promover a inclusão, mas infelizmente há ainda muito preconceito e resistência por parte da sociedade em geral. O ato de incluir é amplo, pressupõe a inserção da pessoa com deficiência na vida social com igualdade de direitos, garantias e obrigações. É direito humano e fundamental, de responsabilidade do Estado, da sociedade, da família, de todos. Incluir é permitir a pessoa com deficiência vivência plena, sem qualquer tipo de discriminação ou preconceito”, disse Giovana.

A palestrante falou aos alunos sobre como o trabalho do serviço social é importante no processo de inclusão e o quanto o assistente social tem grande relevância nesse processo de defesa dos direitos da pessoa com deficiência.