Médicos cubanos que atendiam em Iracemápolis já deixaram as UBS’s


Publicado em 23 de novembro de 2018

Os dois médicos cubanos que atuavam em Iracemápolis pelo programa “Mais Médicos” deixaram suas funções esta semana, após o governo de Cuba anunciar a saída do país do programa brasileiro.

Os profissionais que atendiam no Centro Odontológico e na UBS (Unidade Básica de Saúde) do Jardim Iracema trabalharam até segunda -feira (19) e desde então os atendimentos foram suspensos.

O secretário de saúde e vice-Prefeito, Messias Humberto de Oliveira, convocou uma reunião na quinta-feira (22) com a equipe do setor para decidir quais medidas serão tomadas para suprir a falta de atendimento nas UBS’s onde os cubanos atuavam até que as vagas sejam preenchidas efetivamente por outros profissionais.

MOTIVO DA SAÍDA

Cuba anunciou na semana passada que está fora do programa “Mais Médicos”, que desde 2013 envia profissionais para atuarem no Brasil.

A decisão foi tomada em função de um pronunciamento feito pelo presidente eleito, Jair Bolsonaro, em agosto durante sua campanha, no qual ele disse que “expulsaria os cubanos do país por meio do Revalida”, exame de revalidação de diploma de médicos formados no exterior. A medida fazia parte do plano de governo de Bolsonaro.

A Opas (Organização Pan-Americana de Saúde), responsável pela intermediação do convênio entre Brasil e Cuba, informou que mais de 8 mil médicos contratados pelo convênio deixarão o Brasil até o dia 12 de dezembro.