banner

Depressão e suicídio – Parte II Perdendo coisas


Publicado em 10 de janeiro de 2020

“…então Saul tomou a espada, e se lançou sobre ela” 1° Samuel 31:4b.

Saul perdeu a guerra. Em 1929 na maior crise financeira de sua história, muitas pessoas tiraram a vida nos Estados Unidos, perca de posses, empresas, empregos, levaram muitas pessoas ao limite, hoje em dia não é diferente, a instabilidade emocional tem levado muitas pessoas a entrarem em depressão por perderem, imóveis, carros apreendidos pelos bancos e financiadoras, empregos, entre outras coisas, uns veem a oportunidade de abrirem seus próprios negócios, outros de buscarem novas áreas de trabalho, mas alguns e não poucos, desanimam de tal maneira, que se perdem em desanimo e tristeza, por eu ter passado por várias empresas, sempre tenho comigo um pensamento; “dias melhores virão” mas como lidar com quem não consegue ter essa mesma motivação ou visão? Não foi uma e nem duas vezes, mas várias, que fui socorrido por amigos e ex colegas de trabalhos anteriores em “abrir” novas portas de trabalho, por isso a dica, “ame as pessoas ao ponto de ser marcante na vida delas”. Outro ponto é quando “do dia para a noite” se perde tudo que tem, tipo, (Brumadinho) realmente não é fácil, e se não tivermos sabedoria e muito amor no coração, não conseguiremos dar um “norte” para a pessoa necessitada de esperança. Já fiz muitos negócios errados, perdi oportunidades incríveis, abandonei empregos excelentes, mas uma coisa sempre deixei por onde passei, pessoas que se importavam comigo, pois nunca coloquei o emprego, a ganância, o cargo, serem mais importantes que as pessoas, saiba que quando você ou alguém passar por uma situação semelhante, o grande diferencial vai ser a recepção que vai ter quando precisar contar com alguém, pois por mais que negamos, muitas coisas, empregos e bens matérias carregam junto consigo nossos sonhos, nossos esforços e cada um sabe dentro de si o qual valor tem cada um, por isso, relembro, não julgue, não critique, apenas ame e ajude de acordo com a necessidade da pessoa que confiou a você essa dor que sente no momento. Que tal ajudar a abrir novas portas de esperanças para aqueles que passarem por sua vida? Paz de Cristo!

Por Rud Corrêa.

Deixe uma resposta