Heróis!


Publicado em 7 de setembro de 2017

Numa noite boa, de festa de aniversário, de comemoração, na companhia de bons amigos e parentes, acompanhados de quitutes deliciosos e uma cerveja gelada, veja só, surgiu uma conversa sobre heróis. Fiquei pensando nos meus heróis. Como surge a figura do herói em nossas mentes? Porque precisamos deles? Obviamente os tradicionais heróis surgiram para suprir algumas necessidades que não conseguimos realizar em vida real.

Fantasiamos através desses personagens tudo o que desejamos que fosse diferente e não conseguimos mudar. As raízes desses superpoderosos vêm de longe. No portal ‘Uai’, em seu texto, Alexandre de Paula diz: ‘A história e a origem dos super-heróis dos quadrinhos escondem alguns segredos.

Embora possa parecer tema superficial, a base para a criação dos personagens, em alguns casos, está em referências inesperadas, como a filosofia, o renascimento e a política. No livro ‘A identidade secreta dos super-heróis’, o escritor americano Brian J. Robb conta os bastidores e a história da criação de sucessos das HQs. Robb explica que os quadrinhos, principalmente os de super-heróis, foram mesmo buscar suas fontes em referências mais antigas. “Suas origens secretas vêm de mitos e lendas. Super-homens, dotado pelos deuses, abundam em lendas antigas, enquanto figuras folclóricas, como Robin Hood, inspiraram muitos heróis modernos. DC e Marvel reinventaram os mitos gregos para suas audiências modernas, seja em 1940 ou 1960. Superman deve muito a Hércules, Mulher Maravilha vem das Amazonas, enquanto Flash é uma reinvenção de Hermes”, aponta.’

Com todas as referências, americanas claro, confesso, me iniciei nesse mundo com ofilme do ‘Super Homem’, no antigo Cine Iracema. Na fila veio Homem Aranha, Homem de Ferro, Batman, etc.No entanto,comecei a amadurecer a minha ideia sobre ‘super-herói’justamente na festa de aniversário supracitada.

Descobri que há muito tempo meus heróis não tem nada de super. São pessoas comuns, batalhadoras, trabalhadores, homens e mulheresque acordam de manhã e vão correr atrás de ganhar o seu dia, de buscar o sustento dos seus, da sua família. Gente simples com todos os erros e acertos de qualquer cidadão. Não que eu tenha deixado o mundo da fantasia. Virei um desses amargurados? Não, ainda gosto. Acho importante sair da realidade, descontrair. Mas ao pé da letra, hoje meus heróis são outros.