Mente e corpo


Publicado em 29 de julho de 2016

Na sala de aula, o menino muito esperto procurava enganar a professora disfarçando que estava fazendo as lições. A professora que já conhecia o aluno, famoso por suas explicações e justificativas para ficar parado, fez a pergunta que já se tornou rotina no dia a dia da sala de aula:

— Joãozinho, você já começou a copiar as atividades da lousa?

— Ainda não, professora. Sabe o que é… É que minha mente quer copiar, mas meu corpo não! — retrucou ele na maior calma.

A professora ficou séria e como faz todos os dias pediu para ele começar imediatamente ou a escola iria chamar os pais, porém, por dentro ela estava rindo muito. O bom de ser criança é isso, poder falar o que pensa na sinceridade e tentar escapar do que não se quer fazer.

A professora pensou em quantas vezes ela sabia que precisava fazer alguma coisa mas seu corpo não queria. Quantas vezes a gente está enroladinha no cobertor no inverno e precisa levantar pra trabalhar. A mente quer, mas o corpo não. E fazer uma atividade física! Nossa. A gente sabe que precisa, mas o corpo não quer…

O pior porém, é quando a mente não quer mais. O corpo levanta, anda, faz tudo o que precisa, vai pra lá e pra cá, mas a mente está longe. A mente não quer mais acompanhar. É quando tudo se torna mecânico, o corpo vai, mas a mente já não está mais lá