Os dias das mulheres


Publicado em 17 de março de 2017

Tocou o alarme do despertador. Outro dia comum. Ela se espreguiça preguiçosamente na cama. Mais um dia clareou. Levanta-se vagarosamente. Sabe que na verdade o tempo a partir de agora fugirá por entre os dedos. O tempo urge. São seis e meia da manhã. Nem todas se levantam esse horário. Diria que sim, a maioria. Vai para o banheiro, toma um banho rápido, escova os dentes com pressa e acha um tempo para maquiagem e cabelo. Algumas fazem o serviço completo, outras, apenas batom e escova rápida. Mas sempre perfumadas e elegantes. Como conseguem não sabemos. Teorias não faltam. Às vezes sorriso no rosto, às vezes nem tanto.

Café da manhã na mesa. Chama as crianças. ‘Re-chama’ as crianças. As chama novamente, agora com menos paciência. Banho no mais novo. Birra no banheiro já cedo. Enxuga, passa protetor, passa repelente, troca curativo do cotovelo. Pega a roupa, troca as crianças. O tênis esta difícil de entrar. Penteia o cabelo. Gel para o topete. Todos à mesa. Instruções para obedecer às tias, não brigar com o coleguinha, chamar a professora se algo estiver incomodando. Não se esquecer de comer a fruta da lancheira.

Tira o carro, bicicleta ou vai a pé levar os meninos (as) na escola.

Suspira. Vai para o trabalho. Cliente estressado já cedo. Atende com paciência de Jó. Às vezes perde um pouco da compostura. Dá-se o direto de avançar o sinal da boa educação de vez em quando. Responde não grosseiramente, mas o que merecia ouvir o interlocutor. Ninguém é de ferro.

Corre pra casa. Descasca cebola, água pra ferver, bife na panela, espreme a laranja, louça lavada, marido chega com as crianças. Como foi a escola? Como foi o trabalho?

Mãe, vamos tomar sorvete hoje? Mãe, posso jogar videogame? Bem, você passa aquela camisa azul de linho, por favor?

Crianças comportem-se! Até mais tarde meu amor. Trabalho período da tarde. Rotina. Enfim mais um dia de expediente encerrado. Casa segundo turno. Arrumem essa bagunça. Abaixe o som da televisão. Amor, volte logo do futebol. Venha tomar o remédio. Todos para o banho. Pijama agora! Que tal lermos um livro? E depois, cama! Meia noite. Canseira, sono e sonhos. Os dias das mulheres!